Guia do Estudo Saudável – Todo violinista devia saber…

Guia do Estudo Saudável – Todo violinista devia saber…

31 de janeiro de 2010 Artigos Dicas 41

Tocar  de maneira  desenvolta,  livre  de  desconforto  físico,  de  problemas  técnicos,  e preocupações de qualquer ordem – é uma conquista que  todo músico almeja. Consegui-la é difícil, mas com um trabalho consistente é perfeitamente possível.

Esta seção é um pequeno guia de propostas para um  tocar mais produtivo, alcançado através de modificações – muitas vezes pequenas – nos materiais, acessórios, no violino, nos hábitos de estudo e de vida. As modificações  sugeridas estão divididas em duas partes, das quais a primeira é composto de medidas a serem tomadas com o violino à mão para melhorar a prática e o desempenho musicais. A segunda contém sugestões de mudanças a serem feitas sem o violino, mas que indiretamente, influenciarão o desempenho também.

Adaptação do violino e seus acessórios ao corpo do violinista:


É primordial que o violino com o qual o músico pratica  seja adaptado para ele. Um violino mal  ajustado pode  ser uma  fonte  inesgotável de problemas  físicos.  Já  é  complicado para o corpo lidar com as demandas usuais do violino, então, o melhor a se fazer é minimizar o esforço, para que se maximizem os resultados.

 Um  cavalete muito  alto,  por  exemplo,  além  de  dificultar  a  digitação,  sobretudo  em posições  altas,  pode  obrigar  o  violinista  a  fazer  muito  mais  esforço  para  tocar  que  o necessário.  O  ajuste  é  rápido,  custa  muito  pouco  e  a  diferença  é  enorme.  A  manutenção periódica do violino faz bem à saúde do instrumento e do instrumentista. Por  outro  lado,  alguns  problemas  são  um  pouco maiores.

Um  violino muito  grande para o violinista  (ocorrência usual em pessoas de baixa estatura que  tocam com violinos de proporção  inteira),  requer  muito  esforço  para  ser  tocado;  as  distâncias  e  o  desgaste  são proporcionalmente maiores. Geralmente, quando o violinista  tem de diminuir o  tamanho do violino,  e  trocar  aquele  instrumento  com o qual – por maior que  seja –  já  está habituado  a tocar, os  fatores que o  levam a hesitar para  fazer a  troca  são dois –  a perda  sentimental do violino antigo; e o medo de comprometer consideravelmente sua produção de som,  trocando seu  violino  de  tamanho  normal  por  um menor.  Esta  resistência  é  comum,  considerando  o tempo  que  o  instrumentista  passa  diariamente  com  o  violino,  e  tende  a  passar  tão  logo  o violinista se adapte ao novo instrumento. Ainda, há possibilidades de se negociar este tamanho menor, contatando um luthier para  construir  o  violino,  de modo  a  adaptar  a  proporção  do  instrumento  de  acordo  com  a necessidade do músico. O mesmo  acontece  com  os  acessórios  acoplados  ao  violino,  como  a  queixeira,  e  o suporte.

A forma da queixeira é de extrema importância para o apoio do instrumento no corpo –  já que ele não é e nem deve ser preso ao corpo do  instrumentista – pois é nela que o  lado esquerdo do maxilar pousa. De acordo com o formato do maxilar do violinista, a altura do seu pescoço  e  qual  a  posição mais  confortável  para  tocar, o  formato  e  a  altura  da  queixeira adequada são diferentes – e por isso, o violinista deve encontrar a queixeira certa para que não necessite ajustar o instrumento na posição o tempo todo. Muitas  vezes  a  queixeira  é  escolhida  por  seu  desenho,  mas  essa  escolha  é  feita pensando no efeito estético que ela vai ter no violino. Na verdade a estética é secundária, e a queixeira deve ser avaliada pelo conforto que ela oferece ao músico, e não por sua beleza.

Com  relação  ao  suporte (Spalleira/Ombreira) a  abordagem  é  um  pouco  diferente,  tendo  em  vista  que  a maior parte dos suportes hoje comercializados oferece vários tipos de regulagem.  Em alguns casos o violinista tem o modelo mais indicado para ele, mas não sabe fazer um bom uso dos recursos que este acessório oferece. Em geral, o violinista acaba por regular seu suporte numa altura muito maior do que a necessária,  visando  fixar  o  violino,  atitude  que  gera  uma  imobilização  da  cabeça  sobre  o violino, além de desequilíbrios na  relação entre a cabeça e pescoço, e a  relação destas duas regiões com o resto do corpo. A melhor maneira de encontrar a regulagem ideal é ter paciência e experimentar várias possibilidades. Se nenhuma ficar confortável, há inúmeros modelos, de formatos e regulagens diferentes, um deles com certeza se ajustará ao corpo do violinista perfeitamente.

Um  bom  arco é  outro  componente  importante  no  bem-estar  do  músico,  além  de assegurar todas as possibilidades técnico-interpretativas necessárias a uma prática que visa um alto  padrão  de  qualidade  geral.  Um  arco  de  qualidade  inferior  pode,  além  de  dificultar  a execução de determinados golpes de arco, exigir um esforço excessivo do membro  superior direito do violinista, gerando desconforto e um possível foco de lesões.
O tamanho, o peso, a curvatura e a elasticidade do arco devem ser ideais para o tipo de técnica que o violinista pratica e para o repertório que ele estuda. Ele é responsável pela maior parte  das  articulações  possíveis  na  execução  do  violino.  Portanto,  quanto  melhor  o  arco, maiores as chances de o instrumentista realizar tudo que sua técnica permite.

Existem algumas  soluções  recentes para adaptar  instrumento musical e acessórios ao
corpo  do  instrumentista.  Exemplos  como  queixeiras  ortopédicas,  ou  violas  com  desenho
diferenciado  (que  beneficiam  movimentação  do  braço  esquerdo  sobre  o  instrumento,  sem alterar o som produzido) são úteis e devem ser levados em conta.

Abaixo modificações no corpo e nos acessórios do instrumento:

Adaptacao

Fonte:

IZABELA KÖENIG:   DORT E VIOLINO – PROPOSTAS PARA UM TOCAR SAUDÁVEL  Pag.51

Trabalho  de  conclusão  de  curso  apresentado  ao  Curso  de  Bacharelado  em  Música  –
habilitação em violino da Universidade do Estado de Santa Catarina

 

41 comentários

  1. Elisangela disse:

    Oi, ótima tarde!!!

    Sou canhota e estou iniciando na aulas de violino, estou amando…
    Mas tem um porém, além das cordas, que já foram trocadas, exite queixeira
    para canhoto?
    Preciso muito saber qual a melhor queixeira para mim, tenho o pescoço considerado
    normal. preicso muito da ajuda de Vcs.
    Aguardo retorno,
    obrigada, Elis.

    • israeldutra disse:

      Olha, antes de chegar na queixeira, vou ser bem sincero e franco. O Violino é aparentemente simétrico por fora, mas sua estrutura interna foi feita para suportar as tensões das cordas na sua posição padrão. Portanto não basta alterará-las de posição. Seria preciso refazer o violino, ou já fabricá-lo dessa maneira (Já vi isso na internet, mas não no BRasil) ou poderia ser um violino elétrico (eu considero o mais recomendado).

      Se não for assim vais estar prejudicando a estrutura do seu violino e comprometendo a sonoridade.

      A grande maioria dos violinistas defendem – este é meu caso – de que o aluno deva aprender nesta posição.
      (Você poderá ver diversas argumentações a respeito lá na comunidade sobre violino no orkut)

      Em breve, sabendo que esta é uma grande curiosidade, vou publicar algo a respeito.

      Leve em consideração todos estes fatores apresentados, mas se resolver insistir no que ,na opinião seria o erro, então não esqueça também de inverter a posição do cavalete.

      Sim!! Quanto a QUEIXEIRA, não deve ser nenhum mistério. Podes encontrar as queixeiras centrais, penso que estas devem servir para ambos os lados.
      Se ainda não usa ombreira e perceber a necessidade, pode experimentar as famosas KUN, elas são muito bem aceitas inclusive no meio profissional.

      Podes encontrar estes dois acessório nesta loja virtual chamada ECORDE.com.br

      Queixeiras
      http://www.ecorde.com.br/index.php/cPath/17_94_96

      Ombreiras/Espaleiras
      http://www.ecorde.com.br/index.php/cPath/17_91_92

      Espero ter ajudado!

      Aliás, agora podes contar também com meu novo espaço da web criado especialmente para responder perguntas.

      http://www.formspring.me/violinovermelho

      Agradeço sua participação,
      volte sempre!

    • Samara Gama disse:

      Certa vez fui perguntar ao me professor referente aos violinistas que são canhotos, se estes deveriam obter um violino com suas cordas e acessórios invertidos! Porém ele me disse que isto é errado! Que o canhoto deve estudar violino da forma padrão, afim de não ter problemas ao tocar em conjunto com outros violinistas! 😀

  2. Elisangela disse:

    Obrigada, nao tinha achado a resposta…favor desconsiderar…
    Vou seguir o seu conselho e tocar com a mao direita…

  3. gabriele disse:

    Gente me ajude,quero começar a aula de violino mais não sei como comprar um violino bom, não conheço nada ainda, marca, cordas, arcos nadaa
    me ajudeeem por favor

  4. Lucas disse:

    Muito interessante esse post. Quando li o título eu pensei “é para mim…” E, realmente, você falou exatamente o que aconteceu comigo. Senti dor no segundo mês de violino. Claro que parei de tocar para não piorar o problema, mas mesmo 2 meses depois, com anti-inflamatórios e relaxantes musculares indicados por um ortopedista, não parei de sentir a dor quando toco. Creio que seja do arco, pois é justamente nos tendões da mão direita que me incomodam, principalmente o do mindinho.
    Achei uma análise um tanto superficial sobre os arcos, porque não consigo saber se meu arco é bom/ruim.
    Obrigado por postar!

  5. anne disse:

    é esse post esclareceu algumas coisas mesmo, mas estou com uma dúvida cruel com relação ao tamanho do violino, pois tenho 1,58m será que eu preciso mesmo de um violino 3/4 ??

  6. […] as datas dos principais concertos de 2010 Guia do estudo saudável para violinistas Partituras e métodos para violino Livro Crônicas para […]

  7. matheus disse:

    olá,sou musico tenho 13 anos, e gosto muito de tocar o meu violino !

  8. Bom dia!

    Toda vez que passo de duas horas de treino meu dedo polegar fica doendo. Comecei a estudar violino tá com dois meses, tô sendo exagerado demais treinar 2, 3 horas por dia?
    Abraços.

  9. Miriam disse:

    Olá,

    Gostaria de saber se existem exercícios físicos que melhoram o desempenho de quem toca violino.
    Exercícios que ajudam as articulações e os movimentos.
    Não sinto dores e nem desconforto quando toco, mas gostaria de fazer exercícios que pudessem ajudar o meu desempenho ao tocar o meu violino.
    Devo consultar um profissional? (Fisioterapeuta, Ortopedista)
    Devo procurar uma academia de ginástica?
    O que você me sugere?

    Grata.

    (^_^)

    • israeldutra disse:

      Olá Miriam,

      Não há necessariamente uma série de exercícios físicos só para violinistas.
      Existem diversas técnicas e exercícios que você pode incluir na sua rotina. Consultar um profissional será muito útil,pois ele vai saber o que se encaixa melhor com você.
      Em geral o grande objetivo é fortalecer os músculos visando maior resistência,pois geralmente ficamos com a mesma postura por muito tempo. E também a consciência corporal que nos permite usar melhor o corpo sem desperdiçar energia.

      Não vou sugerir nada específico, pois cada caso é um caso e se podes procurar um especialista na área vai ser melhor.
      Mas para não ficarmos só nisso, no meu caso a musculação deu resultando enquanto eu a praticava. Parei de sentir dores nas costas, mas elas retornaram com a minha rotina agitada (agitada,mas sedentária). Espero que nesse semestre eu consiga me organizar para tratar disso.

      Um grande abraço e volte sempre 😉

  10. Miriam disse:

    (^_^)

    Seguirei o seu conselho.

    Sou apaixonada pelo meu violino, parece até um vício, sinto saudade de tocar, estou no trabalho e não vejo a hora de sair para poder tocá-lo.

    Muito Obrigada pela atenção.

    Um grande abraço.

    Miriam

  11. stefanie disse:

    eu sou canhota,e estou tendo as mesmas dificuldades de um destro.eu pensava que seria mais facil com o dedilhado por eu ser canhota,mas está sendo dificil do mesmo jeito…
    aviso meus amigos canhotos:não troquem as cordas de posição!vc tem que mandar fazer em um luthier.ele vai ter que inverter todo o violino,como a alma,a barra harmonica,etc…não inventa de trocar as cordas,pq senão vc pode zoar todo seu violino…digo uma coisa:pros canhotos,nada é impossivel,basta querermos!
    eu sou canhota,e com mto orgulho!

  12. alexsandre disse:

    boa tarde,sou estudante de violino,mas tenho algumas necessidades,que voce acha devo comprar outro instrumento ou trocar peças desse mesmo,já que o arco dele é muito pesado quase igual de viola,a queixeira é muito rasa no entanto ela nao se adapta ao meu rosto entao sinto dificuldade em apoiar,acredito que uma mais funda na parte trazeira ou com cavidade maior resolve, só nao encontro isso.Meu violino é um eagle (igol) fabricado em 2001 que voce acha?desde entao agradeço.

  13. Felipe disse:

    Olá! Sou violinista iniciante e, já que este lugar está sendo usado para perguntar, gostaria, se possível, de esclarecer algumas dúvidas:

    -O som do violino melhora com a rotina de passar breu no arco?

    -Tenho tido alguns problemas na leitura da partitura. Acabei me acostumando a decorar a música para tocar sem ler e perdi um pouco o jeito para ler qualquer coisa que já tenha decorado e quando chaga a uma parte nova da música eu me perco e não consigo acertar. Gostaria de algumas dicas para resolver isso.

    -Algumas vezes tenho me sentido um pouco desmotivado para estudar. Você tem alguma sujestão de como conseguir mais motivação?

    Agradeço desde já, Felipe

    • Israel Dutra disse:

      O melhor lugar para perguntas é o Formspring: http://www.formspring.me/violinovermelho

      Mas tranquilo, vou responder:

      1 – O som do violino melhora com o tempo de estudo. Não basta ser antigo para ser bom como muitos pensam. A madeira de fato amadurece e o som fica mais interessante com estudo contínuo e por vários anos. Isso se dá porque a madeira do violino se acostuma com a frequência das vibrações.

      E o acompanhamento de um especialista também é importante! O médico da família ( O Luthier) também tem um papel importante na manutenção e reparo do instrumento que sofre com o passar dos anos.

      2 – Sobre a leitura… Bem, decorar é ótimo, mas desde que seja pelos motivos certos hehe. Você pode praticar sua velocidade de leitura no link: http://www.musictheory.net/exercises/note/beoyryyb Isso talvez ajude, mas eu seria mais útil se já tivesse passado por isso. Com certeza teria muito mais a dizer. Espero que alguém complemente a minha resposta aqui.

      3 – Eu penso que o mais bacana seria encontrar um amigo ou colega para estudar junto, pois penso que assim pode haver um pouco mais de disciplina. Um pode chamar a atenção do outro e dar sugestões (ouvir opiniões mais sinceras). Busque assistir mais concertos. Se envolva mais com os assuntos que envolvem o seu instrumento. Ingresse em orquestras amadoras ou grupos de câmara. Na sua rotina de estudo técnico…experimente pegar um teclado e faça tocar um daqueles ritmos ao invés de usar metrônomo…só para dar uma variada.

      Espero ter te ajudado Felipe – Foi o melhor que pude fazer as 01:33 da madruga!
      Saudações violinísticas!

  14. Evanio disse:

    Gente, violino canhoto?!! Se eu não toco determinado instrumento que usa-se ambas as mãos, qual a diferença de eu começar do lado normal?! A dificuldade do violino está na mão esquerda, sem desprezar a direita é claro! Musculação pr melhorar no violino? Loucura!! O violino é um instrumento sensivel, se quer parar de sentir dores, faça alongamento, atividade física (natação, caminhada, ciclismo,, mas, pelo amor de Deus, musculação nãoooo, nem baterist deve fazer!!!

  15. Rogério disse:

    Israel, boa tarde!
    Eu estava pesquisando exatamente sobre o assunto “musculação” para violinistas. Eu sou violinista e estou treinando musculação. Pude reparar que a musculação (hipertrofia) atrapalha no desempenho do violinista. Faço alongamento todos os dias e mesmo assim estou perdendo a elasticidade. Como precisamos de alongamento para colocar principalmente o quarto dedo na corda, a hiportrofia impede esse movimento e com isso é necessário fazer força ( o que é errado) ao digitar. Além do mais, atrapalha no relaxamento físico em geral. Ao vibrar, é notório o aumento de tensão em toda região do braço esquerdo. Na minha opinião, musculação (hipertrofia)atrapalha no desenvolvimento do estudo do violino. Esta é a opinião também do amigo violinista Djavan Caetano da OSESP. Ouvi dizer que o violinista Maxim Vengerov também teve o mesmo problema. De qualquer maneira, se alguém quiser insistir, aconselho não treinar antebraço e pegar pouco peso quando treinar braço. Espero ter ajudado! Forte abraço!

    • Ótima contribuição Rogério,

      Eu concordo com as ressalvas em relação aos exercícios que envolvem os membros diretamente ligados com a performance musical.

      Mas acredito que podemos entrar em consenso quanto aos benefícios da musculação nas estruturas musculares maiores (ex: torax,abdome) e seus benefícios quanto a resistência muscular e melhora da postura.

      Um abraço e volte sempre!

  16. Rogério disse:

    Ah sim, violino vermelho.. concordo plenamente!!! Muito obrigado pela recepção! Forte abraço!

  17. Fabricio disse:

    Olá!

    Sei que o assunto de violinos para canhoto já foi abordado por aqui. Entendo a dificuldade em inverter as estruturas do violino de destro para canhoto.
    Recentemente ganhei um violino Eagle vk 244. Tenho a intenção de tocar em casa, apenas por hobby. Gostaria de saber o quão prejudicial seria ao som do instrumento caso eu invertesse apenas as cordas.
    Sou baixista e guitarrista há mais de 15 anos. Todos os meus instrumentos são de canhoto, desenvolvi a minha habilidade na escala com a mão direita e aprender a tocar como destro agora está fora de cogitação.

    Desde já agradeço!

    • Olá Fabricio,

      Num violino elétrico eu diria que não há mal algum.

      No violino acústico eu diria que pode alterar o timbre. E mais do que o som, pode prejudicar a estrutura do instrumento.

      Eu ficaria com o violino elétrico. Você já deve ter amplificador e pedaleiras. A experiência será bem agradável e é possível encontrar a preços acessíveis.

      Já um violino acústico para canhoto não estão disponíveis no mercado nacional. Até hoje só ouvir falar com capitão Fiddle :http://www.captainfiddle.com/

      Deixo um vídeo do capitão Fiddle: http://www.youtube.com/watch?v=brYRXvKvFmo

      • Fabricio disse:

        Obrigado pelas dicas! E gostei muito do video.
        Futuramente devo adquirir um violino elétrico para realizar a conversão sem maiores problemas. Por enquanto tentarei me virar com o que tenho a mão.

        Abraço!

  18. Ola meu nome e é paulo Henrique eu estudo Violino na C.C.B _ Congregação Cristã no Brasil & tou sentindo bastante Dificuldade em tocar Oitavado ou vs sugeri para meu desepenho melhorar ?

  19. leonardo disse:

    gostaria de saber sobre o violino eletrico:
    o som sem a caixa de som e mt baixo?
    e qual as marcas com custo benefio bom ?

  20. Jean Pierre disse:

    Olá,
    Lindo site!
    Tenho uma dúvida, pois a uns 02 anos comprei um violino na mão do meu Professor, e ele me disse que aquele violino era do ex professor dele e que tinha aprox. uns 97 anos na época, hoje com 99….
    Gostaria de saber se tem como afirmar o valor e a idade exata do violino…
    Agradeço desde já a atenção.

  21. Wanderson luiz disse:

    obrigado, toco violino faz 2 anos e sempre procuro conteudos sobre violino esses aqui estão de parabéns!!!

  22. Adriana disse:

    Olá. Gostaria de saber sobre a mancha que fica no pescoço com o passar dos anos tocando violino…..algo ameniza? É normal ou falta de ajustes do violino e pescoço?

    • Olá Adriana, geralmente é a junção de fatores. Um deles pode ser posição inadequada que leva ao excesso de pressão + pele sensível. Já vi quem não tivesse mancha, quem tivesse pouco, quem tivesse muito e até umas coisas bem feias hehe. Quando isso acontece é sempre bom reavaliar o que pode estar errado. Usar alguns acessórios pode diminuir o contato direto com a pele como lenços, almofadas bem pequenas, mas lembre-se que isso pode não ser realmente a solução.
      😉

  23. Wellington disse:

    Pergunta…. nunca quebrei meu braço punho nada… mas meus dedos tem dificuldade para chegar na corda do violino…. é normal?? Ou com treinamento vou conseguir? ??

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Oi! Como posso ajudar?
Powered by