Ospa recebe o violinista Koh Gabriel Kameda

 Em seu 20º Concerto Oficial, a orquestra se apresenta com o destacado instrumentista, sob a regência do maestro argentino Pedro Calderón, na Assembleia Legislativa, com entrada franca.

 

 

Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa) realiza o 20º Concerto Oficial da temporada 2012 na terça-feira,dia 9 de outubroàs 20h30na Assembleia Legislativa, com entrada franca. Desta vez, ela divide o palco com o violinista nipo-alemão Koh Gabriel Kameda e o maestro argentino Pedro Calderón, e visita a música do século XIX através da obra de Mendelssohn e Schubert.

 

Koh Gabriel Kameda tem desenvolvido uma trajetória de destaque como solista, apresentando-se por diversos países da Europa, América e Ásia. Parte significativa de sua carreira tem se dado no Japão, onde seus admiradores mantêm um fã-clube. Sob a regência do premiado maestro Pedro Calderón, diretor musical da Orquestra Sinfônica Nacional da Argentina, na apresentação com a Ospa Kameda interpretará o “Concerto para Violino“, de seu conterrâneo Felix Mendelssohn (1809-1847). A obra foi dedicada a Ferdinand David, professor de violino do conservatório que Mendelssohn fundou em Leipzig. O concerto levou mais de cinco anos para ficar pronto, sempre contando com sugestões de David. Tornou-se uma das obras mais executadas do repertório violinístico, estreada em 1845.

 

Como regente da orquestra do Gewandhaus de Leipzig, Mendelssohn procurava abrir espaço para as produções de seu tempo. Foi ele quem promoveu a primeira apresentação pública da “Sinfonia nº 9“, do austríaco Franz Schubert (1797-1828), que encerra o 20º Concerto Oficial da Ospa. A estreia da obra deu-se dez anos depois da morte de seu autor. Este fato é simbólico da vida de Schubert, um inovador que não teve o reconhecimento merecido em vida, com poucas de suas obras apresentadas à época. Diferente de seus predecessores, Schubert não trabalhou para a aristocracia. Com a decadência financeira desta classe depois das guerras napoleônicas, a burguesia tomava seu papel secular de mecenas, mas sem a mesma propensão. Daí as dificuldades por que passou para viver como compositor.

 

 

Koh Gabriel Kameda, violinista

Estudou na Escola Superior de Música de Karlsruhe, na Alemanha, e na Manhattan School of Music, em Nova Iorque. Atualmente é professor da Escola Superior de Música de Detmold, na Alemanha, e tem desenvolvido uma trajetória de destaque como solista, apresentando-se por diversos países da Europa, Ásia e América.

Dividiu o palco com orquestras como a Filarmônica de Israel, a Sinfônica de Berlim, a Filarmônica do Japão, a Sinfônica Estadual do México, a Sinfônica do Amazonas e a Sinfônica Nacional da Irlanda. Em 1999, esteve em Porto Alegre, onde participou da série Concertos Sesi, apresentando-se com a Ospa.

Foi premiado diversas vezes, entre elas no Eurovision (Viena), no Concurso Internacional de Violino de Kloster Schöntal (Alemanha) e no Concurso Internacional de Violino Henryk Szeryng (México).

Tornou-se figura importante do cenário da música de concerto no Japão, onde tem até um fã-clube, que pode ser visitado na internet: http://www.koh-fc.com. Sua carreira no país asiático iniciou no início da década de 1990, quando foi protagonista e autor da trilha sonora de um documentário para a companhia de rádio e televisão NHK.

Há anos ele desenvolve o projeto voluntário “Música Cura”, em que apresenta concertos em hospitais, levando música para os pacientes. O trabalho gerou documentário exibido pela TV Tokyo em 1999.

 

Pedro Calderón, maestro

Nascido em Paraná, na Argentina, é reconhecido como um dos mais importantes maestros da América Latina. Desde 1994, é diretor musical da Orquestra Sinfônica Nacional da Argentina.

Foi diretor geral e artístico do Teatro Colón, diretor musical da Orquestra Filarmônica de Buenos Aires e maestro do Ensemble Musical de Buenos Aires, grupo com o qual ele desenvolveu longo e frutífero trabalho, com turnês internacionais pelos Estados Unidos e por países latino-americanos.

Já regeu inúmeras orquestras ao redor do mundo, entre as quais as filarmônicas de Israel, Moscou, Bucareste, Milão e Pequim.

Em 1963, representando o Teatro Colón, participou da Dimitri Mitropoulus Competition, nos Estados Unidos, e obteve o primeiro prêmio, apresentando-se como regente assistente da Filarmônica de Nova Iorque, ao lado de Leonard Berstein.

Foi reconhecido em seu país natal por prestigiadas instituições, como a Fundação Konex e a Associação de Críticos Musicais, culminando com o Platinum Konex de Melhor Maestro da Década.

 

A OSPA é uma das fundações vinculadas à Secretaria de Estado da Cultura. Os concertos da Temporada 2012 são patrocinados pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, Vonpar, Ipiranga, Gerdau, Souza Cruz e Brasília Guaíba. A realização é da OSPA, Fundação Cultural Pablo Komlós e Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

 

SERVIÇO

O que: 20º Concerto Oficial da Ospa

Quando: Terça-feira, dia 9 de outubro, às 20h30

Onde: Auditório Dante Barone – Assembleia Legislativa (Praça Marechal Deodoro, 101)

Entrada franca


Programa

Felix Mendelssohn: Concerto para Violino, Op. 64

Franz Schubert: Sinfonia nº 9

Solista: Koh Gabriel Kameda

Regência: Pedro Calderón

 

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA OSPA

Ana Laura Freitas – jornalista
Marília Bissigo – estagiária

Rua 24 de Outubro, 850/305
(51) 3222 7387
(51) 9207 9014
www.ospa.org.br
www.facebook.com.br/pagina.ospa

 

Israel Honorato Dutra

Oi! Me chamo Israel sou violinista, idealizador e "faz tudo" do Portal Violino Vermelho.

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.