Violino Stradivarius é recuperado depois de 35 anos

Foto: The Associated Press
Foto: The Associated Press

Stradivarius | Nenhuma acusação será arquivada porque o principal suspeito do roubo morreu

WASHINGTON (06/08/2015) – Um violino Stradivarius roubado do renomado violinista Roman Totenberg depois de uma performance em 1980 foi recuperado.

Roman TotenbergRoman Totenberg, nasceu na Polônia e morreu há três anos com 101 anos. Ele comprou um Stradivarius em 1943 e só tocou com ele até o dia em que ele foi roubado.

Os procuradores federais em Nova Iorque planejavam anunciar detalhes da recuperação em uma coletiva de imprensa ainda hoje.

Fonte: ENDI.com

Sobre Antonio Stradivari

Luthier italiano
Luthier italiano

O primeiro violino Stradivarius conhecido foi feito em 1666, quando Stradivari tinha apenas 22 anos. Alguns acreditam que ele era o aprendiz de Nicolo Amati, neto do fabricante de violinos, Andrea Amati (1511-1577). Outra implicação é que ele era um carpinteiro de profissão, o que explicaria o seu talento genial na concepção e elaboração.

Durante o início de sua carreira, Stradivari criou violinos no estilo clássico de Amati. No entanto, mesmo utilizando técnicas tradicionais, sua habilidade e talento foi impressionante.

Na década de 1680, Stradivari finalmente se liberou da forma Amati, para criar seus próprios modelos de violino. Stradivari fabricou seus melhores instrumentos no período 1700-1725. Foi nessa época que ele projetou e aperfeiçoou seus violinos, estabelecendo o padrão para os artesãos do futuro.

Alguns de seus violinos mais famosos criados durante o seu período de ouro incluem o 1715 e o 1716 Lipinski Messias. Nunca vendidos ou cedidos, o Messias permaneceu com o seu criador até sua morte. Junto com violinos, Stradivari também fez outros instrumentos de cordas, incluindo violoncelos, alaúdes, bandolins, violões e harpas.

Stradivari continuou a criar instrumentos incomparáveis em seus mais de 70 anos. À medida que envelhecia e em seus oitenta anos, o seu trabalho parece um pouco menos imaculado do que aqueles que ele criou durante os anos dourados. No entanto, ele continuou a fazer instrumentos até sua morte em 1737, incluindo o 1733 Khevenhiiller. ( Texto de Ana Silva Ferreri)

 Sugestão de leitura: “Stradivarius – Cinco Violinos, Um Violoncelo e Três Séculos de Perfeição” (ed. Record, 278 págs., R$ 40 em média) 

Israel Honorato Dutra

Oi! Me chamo Israel sou violinista, idealizador e "faz tudo" do Portal Violino Vermelho.

Deixe um comentário!