Uma semana dedicada ao violino

Uma semana dedicada ao violino

30 de Maio de 2011 Eventos 1
Escola de Música da UFRN está sendo palco para um dos instrumentos de maior representação do estilo erudito
Sérgio Vilar // sergiovilar.rn@dabr.com.br

A cultura musical potiguar passa pela Escola de Música da UFRN. Sobretudo nos últimos anos. O prato vazio ou a esmola cultural oferecida pelas gestões públicas tem feito dos concertos gratuitos apresentados no auditório da EMUFRN, banquetes suculentos. Musicistas de renome internacional saciam a fome de música e colaboram para formação de uma plateia cada vez mais entusiasmada pela instrumentação erudita ou os concertos populares. E esta semana é de prato cheio. O filé mignon dos instrumentos de orquestra será homenageado durante a Semana do Violino. A chef do menu será a violinista alemã Annette-Barbara Vogel, conceituada como das mais excitantes violinistas de sua geração, celebrada por sua virtuosidade, inteligência e paixão pelo violino.


Programação é totalmente gratuita e se estende até quarta-feira. Foto: Eduardo Maia/DN/D.A Press

A crítica musical de revistas, jornais e sites especializados no mundo enaltecem a “entonação perfeita” (Gramophone Magazine) ou a “interpretação mais ideal que um compositor poderia desejar” (Classical CD Review). A Fono Fórum ressaltou a “sonoridade sensualmente brilhante e muito flexível”. E a Westdeutsche Allgemeine Zeitung adiantou o que poderá vir a ser à noite de hoje: “Qualquer interpretação em suas mãos se torna em um evento memorável”. Annette está em turnê pelo Brasil, mas a única cidade onde fará três concertos – gratuitos – e duas masterclasses (aulas coletivas), também abertas ao público, será Natal. “Natal nunca recebeu uma violinista desse calibre. Ela viaja o mundo e cobra caro por suas apresentações. É um evento único”, alerta o professor Durval Cesetti. 

A canja dada por Annette-Barbara a Natal tem explicação. Ela foi companheira profissional de Durval, na University of Wester Ontário (Canadá). A alemã ainda ensina lá. E Durval chegou em Natal há quatro anos. É hoje professor de piano da EMUFRN. “Ela perguntou se podia tocar comigo de novo por aqui. Então a Semana do Violino foi toda montada em função dela”. O público natalense poderá apreciar a versatilidade da violinista na interpretação do Concerto em Sol Menor de Max Bruch com a Orquestra Sinfônica da EMUFRN (regida pelo maestro convidado Guilherme Bernstein), um programa de música de câmara do século 20 (com obras de Zwilich, Schnittke e Lutoslawski) e outro programa de sonatas para violino e piano do século 19 (com obras de Beethoven, Fauré e Strauss).

Música intepretada

O maestro da Orquestra Sinfônica da UFRN, André Muniz, destaca a apresentação de terça-feira como resultado de uma especialização pioneira oferecida na EMUFRN práticas interpretativas da música do século 20 e 21. “São músicas de técnicas diferenciadas que os alunos têm a oportunidade de vivenciá-las com mais profundidade”. Na programação de quarta, de recitais de sonatas, será voltada aos clássicos românticos. “E mostra o ecletismo e a união que temos buscado entre o trabalho artístico e o conhecimento acadêmico”, ressalta o maestro. A fórmula tem dado certo. O auditório da EMUFRN realiza concertos quase semanais com boa presença de público. A sequência começou há cerca de dois anos e tem colocadoa música erudita potiguar na turnê dos grandes nomes do gênero no Brasil.

 

Um comentário

  1. Muito boa essa matéria. Alunos que estudam música e presenciar uma Violinista internacional na sua cidade é um privilégio. Outra parte que me chamou atenção foi “O auditório da EMUFRN realiza concertos quase semanais com boa presença de público.” Muito bom, bom mesmo. Estão de parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Oi! Como posso ajudar?
Powered by