Foto de uma placa com um sinal de proibido violino
Proibido violino abordo

Companhia aérea proíbe embarque de violino

Uma companhia aérea da Polônia pediu desculpas a um talentoso violinista. Ele havia se recusado a permitir que seu violino Stradivarius de US$ 5 milhões (£ 4,1 milhões) fosse levado como bagagem de mão. Isso resultou em uma viagem de ônibus de oito horas para sua casa.

Apesar de o violino atender aos requisitos de bagagem de mão da companhia aérea, Wawrowski foi instruído a colocá-lo no porão ou não embarcar. Ele se sentiu “devastado” com a situação. “Fiquei bastante chocado no início. Eu até achei que poderia ser uma piada, pois o aeroporto estava vazio. Quando percebi que não poderia levar meu violino, fiquei arrasado.”

Solisten Wawrowski
Solisten Wawrowski

Janusz Wawrowski é um músico e diretor de um festival na Polônia. Ele tentou voar de Vilnius, na Lituânia, para Varsóvia. No entanto, os funcionários da LOT informaram que o violino de 338 anos precisaria ser despachado no porão da aeronave.

Após o incidente, Wawrowski pagou 250 zloty poloneses (45 libras) para viajar de ônibus por oito horas até sua casa em Konin, na Polônia. A LOT pediu desculpas e reembolsou sua passagem, conforme relatado em um vídeo postado por Wawrowski em sua página do Facebook.

Wawroswki está tocando o único violino Stradivarius de propriedade polonesa desde a Segunda Guerra Mundial. Esses valiosos instrumentos de corda foram saqueados naquela época. Os instrumentos feitos pela família italiana Stradivari nos séculos XVII e XVIII são considerados alguns dos melhores e mais valiosos já feitos.

Segundo um comunicado da LOT Airlines, um funcionário inexperiente da empresa de assistência que presta serviço à companhia tomou uma decisão equivocada. Isso aconteceu com base no fato de a caixa do violino não caber no “dimensionador”.